Efeitos na saúde de pessoas com sobrepeso e obesidade que seguiram a intervenção Health at Every Size (HAES)®

A incidência de sobrepeso e obesidade têm aumentado cada vez mais no mundo, gerando preocupação devido ao maior risco de doenças não transmissíveis e morbimortalidade associados a essas condições. Com isso, os programas de saúde buscam gerenciar essa condição com um balanço energético negativo, entretanto apesar de apresentar resultados positivos em um curto período de tempo, a longo prazo essas abordagens parecem se tornar ineficazes, promovendo recuperação do peso, compulsão alimentar, insatisfação corporal, transtornos alimentares, comportamentos disfuncionais e baixa autoestima.

Tais efeitos colaterais são encontrados devido ao sentimento de culpa induzido nos indivíduos, dietas impostas, estigmatização social e redução da liberdade de escolha dos alimentos. Em função disso, foram realizados estudos com relação ao estigma que o portador de sobrepeso ou obesidade enfrenta e as consequências para a sua saúde, sendo uma delas a perpetuação da obesidade. Com isso, novas estratégias menos centradas no peso como a “Health at Every Size” (HAES).

Essa abordagem considera outros aspectos mais complexos relacionados a saúde do que apenas a perda de peso, como o aumento da autoestima, comportamento alimentar consciente e atividades físicas positivas e sustentáveis. Estudos mostraram que essa abordagem pode melhorar pressão arterial, perfil lipídico, nível de atividade física, comportamento alimentar, autoestima e percepção da imagem corporal dos participantes, mesmo sem perda de peso significativa. Dessa forma, a revisão sistemática de Ulian et al. (2018) buscou confirmar tais resultados.

A revisão sistemática mostrou que as intervenções baseadas no HAES podem promover benefícios no comportamento alimentar, no consumo de energia e na qualidade da dieta, bem como melhorar os aspectos fisiológicos, como aumento do consumo de oxigênio e nível de atividade física, e psicológicos, como melhora na na qualidade de vida, percepção do estresse e nível de depressão. A revisão demonstra que intervenções baseadas em HAES foram eficazes na melhoria de alguns desfechos cardiovasculares, contudo, outras evidências são necessárias para outros desfechos, como triglicerídeos, glicemia de jejum e pressão arterial. Assim como também não foram encontradas conclusões sobre os benefícios desta abordagem no perfil lipídico. A revisão também destaca que o peso corporal individualmente não é vital para a promoção de mudanças positivas na saúde.

É ressaltado pelos autores da revisão sistemática que os estudos utilizados variaram amplamente entre os aspectos de acompanhamento, intervenção característica, tamanho da amostra, qualidade metodológica e desfechos. Dessa forma, como a HAES parece ser uma abordagem promissora à saúde, outros estudos bem controlados devem ser realizados para comparar sua eficácia com a de intervenções mais tradicionais (ou seja, intervenção prescritiva), que se mostraram geralmente ineficazes a longo prazo para gerenciamento do sobrepeso e da obesidade.

 

Texto por João Motarelli e Julia Tott Mormillo

 

Ulian, M. D., Aburad, L., da Silva Oliveira, M. S., Poppe, A. C. M., Sabatini, F., Perez, I., … Baeza Scagliusi, F. (2018). Effects of health at every size® interventions on health-related outcomes of people with overweight and obesity: a systematic review. Obesity Reviews.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s