A mente compassiva

Estou no quarto dia do meu Intensivo de Auto Compaixão do famoso programa MSC (Mindful Self-Compassion) dos pesquisadores Kristin Neff e Cristopher Germer e por isso vim compartilhar com você alguns dados já publicados na ciências sobre as mudanças neurais promovidas através da atenção Mindful e dos programas de Compaixão. Vamos lá?

Em Desbordes (2012), foi investigado como 8 semanas de treinamento em meditação afetam respostas de amígdala (uma região cerebral que participa de nossas regulações emocionais) a estímulos emocionais em indivíduos quando não estão meditando. Ou seja, será que meditar afeta o ser humano a ponto de influenciar o dia-dia, quando não está meditando?

 

Paticiparam neste estudo apenas adultos saudáveis que não tinham nenhuma experiência em meditar: realizaram grupo de 8 semanas de Treinamento de Atenção Consciente (MAT), Treinamento de compaixão de base cognitiva (CBCT) ou uma intervenção de controle.

Antes e depois da intervenção, foram apresentadas imagens  que representassem emoções positivas, negativas e neutras aos participantes quando em estado comum e não meditativo e avaliaram como essas regiões neurais (amígdala, por exemplo) responderia. Vamos olhar os resultados?

  • No grupo sem intervenção: não foram observados efeitos. (O que era esperado)
  • No grupo Mindful Attention, ocorreu DIMINUIÇÃO na ativação da amígdala direita em resposta a imagens de todas as valências em geral. Demonstrando que a Atenção consciência (mindfulness) já promove mudanças neurais que favorecem a autoregulação emocional.
  • No grupo CBCT, AUMENTO da tendência na resposta da amígdala direita a imagens negativas, o que foi significativamente correlacionado com uma diminuição no escore de depressão. Ou seja, no grupo compaixão as mudanças foram mais específicas dentro da mesma região do cérebro (amigdala) que proporcinou efeitos mais específicos (correlação com depressão)

Sugere-se então que os efeitos do treinamento de meditação no processamento emocional podem se transferir para estados não meditativos e que tais mudanças, são duradouras na função mental.

DESBORDES, Gaëlle et al. Effects of mindful-attention and compassion meditation training on amygdala response to emotional stimuli in an ordinary, non-meditative state. Frontiers In Human Neuroscience, [s.l.], v. 6, 2012.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s